English Portuguese Spanish German Japanese
English Portuguese Spanish German Japanese
Olhando o Universo

Enxergando e ouvindo Deus através do Universo

Enxergando e ouvindo Deus através do Universo

Olhando o Universo

Por que criastes o universo unicamente para mim?

“Não temas, ó bichinho de Jacó, povozinho de Israel; eu te ajudo, diz o Senhor, e o teu redentor é o Santo de Israel.” (Isaías 41.14)

Nunca cheguei a pregar esta mensagem quando fui pastor, mas confesso que os assuntos referentes a criação, as descobertas, e os porquês ocultos em Deus sempre me fascinaram muito, principalmente quando me pego a contemplar a grandiosidade de Deus impressa em toda a sua criação extraordinária.

Portanto escreverei essa mensagem de forma mais despojada, com a minha alma e meu espírito derramados sobre minhas próprias expressões.

Não quero partir de um ponto de vista teológico ou debater sobre cosmologia, arqueologia ou apologética.

Também não pretendo lançar mão de qualquer outra ciência que amo e constantemente estudo para escrever essa tão preciosa mensagem que o Senhor trouxe ao meu coração durante a manhã deste dia.

Sim, amigo leitor! Isto é mais um falar de Deus ao meu coração. Uma centelha do conhecimento profundo de alguém que sente um desejo quase sufocante de encontrar o Criador face-a-face, da mesma forma que deseja ardentemente compreende-lo.

Por que Deus criou o Universo? O que somos nós mediante a esta tão grande obra?

Eu compreendo que ateus e céticos devem discordar completamente das minhas palavras neste texto e eu não os condenaria ou os culparia por isso pois já fui assim em um passado distante.

Na fé eu era uma pequena criança insatisfeita, procurando por respostas em coisas lógicas e palpáveis.

E por conta disso eu optava por aquilo que hoje chamo de ‘solução mais fácil.”

Aquela solução que diz que não existe um Deus! Tudo veio do acaso e ao acaso voltará! Onde o nada é a resposta empírica para tudo!

Mas a verdade é que nenhuma alegação religiosa ou cientifica nos trariam respostas sobre o que realmente há lá fora. Lá onde não podemos ir! Além das estrelas que vemos.

 

Qual o tamanho do Universo?

O Universo é infinito!

Ainda que muitas mentes brilhantes e estudos notáveis tenham ousado datar a idade do Universo, o tamanho dele e a quantidade de corpos celestes existentes, o que podemos concluir é que ele é infinito!

Supõe-se que o número de corpos celestes que compõem o Universo também não tem fim.

O que vemos do Universo, seu número de estrelas, que ficam na parte visível do cosmos e que conseguem emanar a sua luz até nós são aproximadamente 100 bilhões de galáxias.

Estas galáxias por sua vez possivelmente contem centenas de bilhões de estrelas.

Se fossemos definir um número para retratar tudo isso seria algo em torno de dez sextilhões de astros!

Para termos uma ideia do que significa um sextilhão, acrescente uma fileira de 21 zeros ao algarismo um.

Comparada a esse número, a quantidade de estrelas que vemos pelas janelas de nossas casas representa quase nada: apenas 5000 são visíveis da Terra a olho nu.

Mas o fato é que do ponto de vista religioso muitos se perguntam por que existe um Universo tão grandioso e assombroso como o que nos contem tão insignificantemente?

Por que Deus criaria algo tão tremendo e faria neste planeta tão pequeno nascer o espetáculo da vida?

O homem possui em seu interior a ideia de que ele é o centro de tudo até mesmo do Universo.

Mas na verdade somos somente uma partícula da impressionante criação de Deus.

No entanto devemos lembrar sempre que esta partícula que somos, pode ser considerada uma das mais preciosas, já que é o reflexo do seu próprio criador, a sua assinatura pessoal, no que se refere a intelecto e sentidos.

 

Deus se revela através do Universo?

Uma das mais preciosas revelações que recebi sobre o Universo e a existência de Deus veio da mente de um adolescente de 13 anos.

Esta revelação na verdade me levou a escrever esta mensagem.

Numa tarde quando conversávamos sobre descobertas este menino levantou-se e me perguntou por que as pessoas não criam em Deus já que o Universo era a prova mais clara de sua existência.

Perguntei-lhe em que ele baseava a sua teoria de que Deus era comprovado pela grandeza do Universo.

Ele me respondeu:

“Ora quando eu imagino um Universo infinito, então me pergunto: Como algo pode não ter fim?

Até mesmo se eu pudesse viajar em uma espaçonave durante milhares de anos e se viajasse na velocidade da luz ou superior a ela, eu nunca chegaria ao fim do Universo!

Logo, algo assim não possui nenhuma lógica. Só posso concluir que existe um Deus também infinito que criou tudo isso.”

Embora este pareça um argumento bem simples e até infantil, do qual muitos poderão tecer inúmeras explicações cientificas e acadêmicas para defenderem que isso não comprova que existe um Deus criador. Todavia não muda o fato de que um Universo infinito foge completamente da lógica humana e que as possibilidades de algo tão complexo e grandioso surgir unicamente do acaso é bem menos plausível do que uma mente igualmente infinita criando tudo.

A mente humana não consegue conceber que algo não tem fim e possivelmente começo, já que as supostas teorias nunca poderão ser observadas originalmente em sua totalidade.

A nossa mente não consegue explicar algo que não tem fim da mesma forma que não pode conceber que haja um mundo espiritual e um Ser espiritual que criou um plano físico finito.

O Universo é um enigma que a ciência nunca desvendará. Somente olhando do ponto de vista de seu criador poderemos entender sua totalidade, Ele é grande e nós somo pequenos de mais!

 

O Universo é tão espiritual como andar sobre as águas

Quando debatemos religião com ateus e céticos somos cobrados principalmente no que diz respeito às obras sobrenaturais de Deus.

Somos constantemente chamados de loucos fanáticos e muitos outros rótulos porque acreditamos em coisas que do ponto de vista humano são sobrenaturais.

Isto ocorre por que algumas pessoas simplesmente rejeitam e acham ilógica a existência de milagres ou qualquer outra manifestação sobrenatural.

Jesus andando sobre as águas, a multiplicação de pães, a ressurreição de mortos, a cura de doenças ou vários outros milagres que fazem parte da tradição e crença dos cristãos, parece ofender e irritar absurdamente pessoas que afirmam não acreditarem na existência de Deus.

Particularmente não vejo mais dificuldade em explicar um Deus que muitos sentem, ou ouvem e são transformados, curados e salvos por Ele, do que vejo dificuldade em explicar um Universo infinito, ou mesmo uma bola de gás em constante explosão que alimenta a vida em todo o nosso planeta.

O nosso sol é um milagre inexplicável! Desde que nascemos ele está brilhando, explodindo, emanando sua radiação.

Este milagre é bem maior do que andar sobre as águas ou ressuscitar mortos! No entanto o homem acredita tolamente em sua mediocridade que existe uma perfeita explicação e motivos lógicos para isso, mas o mesmo não existe para Deus e seus feitos.

A verdade é que uma simples observação em tudo ao nosso redor prova a existência de Deus e o Universo em si pode ser uma das maiores provas!

Não existe diferença entre mundo espiritual e físico! Tudo é sobrenatural.

O simples fato do despertar da vida a cada manhã é algo profundamente perturbador para a lógica humana.

“Pela fé entendemos que os mundos foram criados pela palavra de Deus; de modo que o visível não foi feito daquilo que se vê.” (Hebreus 11:3)

A vida em nosso planeta é sustentada por uma coletânea de fatores onde uma pequena alteração em qualquer um deles tornaria nosso planeta completamente estéril e inabitado.

 

Por que Deus criou um Universo tão grande e inexplicável?

Em nossa angustiante busca por respostas, costumamos nos perguntar por que Deus criou um Universo tão grande?

Mas as indagações sobre essa tão maravilhosa obra de Deus não param somente neste ponto.

É comum vermos ministros do evangelho abordando questões sobre vida extraterrestre.

Alguns se perguntam: Porquê somente neste pequeno planeta existe o que chamamos de vida?

Por que Deus criaria inúmeros e incríveis outros planetas completamente desertos e desprovidos de seres vivos?

Outros até cogitam que provavelmente existem seres vivos espalhados pelo Universo já que não faria sentido algum que todo o resto do Universo estivesse vazio.

A própria ciência afirma que dos mundos existentes na imensidão do cosmos uma terça parte deles estariam devidamente maduros para conterem vida e que provavelmente eles contem.

Nestas questões poderíamos discutir em centenas de teses e teorias por vários anos e não encontraríamos praticamente nenhuma resposta.

Isto porque somos pequenos de mais para compreender. Comparados com a metade do Universo somos menores do que átomos.

O que posso aprender com o Universo do ponto de vista em que estou é que absolutamente tudo o que Deus cria possui a sua natureza e é igualmente grandioso.

Toda a criação é incrivelmente perfeita e assustadora.

As plantas, os animais, o próprio homem, tudo expressa o tamanho e a complexidade de Deus.

Se pegássemos as informações contidas em apenas uma célula provavelmente elas seriam capazes de preencher volumes de literatura que se fossem empilhados chegariam até a lua.

Apenas a mente humana possui informação suficientes para superar em muito todos os conteúdos literários contidos em todas as bibliotecas do mundo.

Como alguém mencionou uma vez: “O cérebro humano é algo muito grande em um local incrivelmente pequeno!”

“Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras de sua mão” (Salmos 19: 1)

De forma que o que Deus pretende nos dizer quando olhamos para o Universo e toda a sua criação é que Ele é grande e nós somos pequenos!

“Quando vejo os teus céus, obra dos teus dedos, a lua e as estrelas que preparaste;

Que é o homem mortal para que te lembres dele? e o filho do homem, para que o visites?” (Salmos 8:3-4)

Hoje posso amar tudo o que Deus criou inclusive o Universo. Não me preocupando tanto com explicações ou razões, já que se Deus pudesse ser explicado não se trataria mais de Deus.

Se Ele não fosse misterioso não seria tão fascinante.

Se pudéssemos senti-lo mais do que o sentimos não estaríamos mais vivos e se os homens não fossem tão cegos, olhando apenas para si mesmos e seus discursos vazios e deixassem de adorar a sua própria soberba e suposta inteligência, quem sabe entenderiam os sinais e obras deixadas desde o início, obras que nos apontam o caminho para o verdadeiro conhecimento que está sempre à frente de nossos olhos!

Existe um Deus! Existe um criador e um dia o veremos claramente como por Ele somos vistos!

“Ame toda a criação de Deus, ela inteira e cada grão de areia nela. Ame cada folha, cada raio de luz de Deus. Se amar tudo perceberá o mistério divino nas coisas” (Dostoievski)