O Apóstolo Tiago existiu? Que evidências temos sobre o irmão de Jesus?

O Apóstolo Tiago existiu? Que evidências temos sobre o irmão de Jesus?

Apóstolo Tiago Irmão de Jesus

Existem abundantes referências sobre a existência de várias personalidades descritas na Bíblia Sagrada que possuem alguma ligação com Jesus Cristo. No que se refere a existência do Apóstolo Tiago, reconhecido por muitos como o irmão de Jesus de Nazaré, isso não é diferente.

Os Evangelhos de Mateus, Marcos e Lucas, mencionam Tiago como um dos irmãos de Jesus. Podemos citar como exemplo as seguintes passagens: Mateus 13:55 diz: “Não é este o filho do carpinteiro? Não se chama sua mãe Maria, e seus irmãos Tiago, José, Simão e Judas?”

O Apóstolo Paulo escrevendo em Gálatas 1:18-19, diz: “Não vi nenhum outro apóstolo, exceto Tiago, o irmão do Senhor.”

Essas passagens bíblicas podem ser consideradas fontes iniciais de informação sobre a existência do Apóstolo Tiago e nos dão a entender que possivelmente ele tenha sido irmão legítimo de Jesus por parte de mãe.

O Livro de Atos, no Novo Testamento, também faz referência ao Apóstolo Tiago como uma figura importante na igreja primitiva em Jerusalém. Ele é mencionado como um líder respeitado, é associado à decisão do Concílio de Jerusalém em Atos 15 e possui no Novo Testamento uma epistola que leva o seu nome, embora não exista tanta certeza que ele mesmo a tenha escrito.

Além das Escrituras, a tradição cristã primitiva também menciona Tiago, o Justo, como uma figura importante.

Nesta pesquisa não focaremos exatamente na problemática do parentesco do Apóstolo Tiago com Jesus Cristo e também não nos preocuparemos em mostrar as referências e textos Bíblicos de forma mais profunda, onde o Apóstolo Tiago é mencionado, mas vamos apresentar principalmente uma coletânea de informações históricas que nos servem como referência a existência do Apóstolo Tiago em fontes fora da Bíblia.

Não deixe de ler também a nossa série de estudos sobre “As provas concretas da existência de Jesus Cristo:” 

 

Existem referências da existência do Apóstolo Tiago fora da Bíblia?

Embora o Novo Testamento seja nossa principal fonte sobre Jesus e seus discípulos, dos quais o Apóstolo Tiago é um dos principais, existem referências históricas vindas de outras fontes extrabíblicas.

Hegésipo faz referência ao Apóstolo Tiago.

Eusébio de Cesaréia
Eusébio de Cesaréia

Hegésipo foi um cronista cristão convertido do Judaismo na época da Igreja Primitiva, que teria vivido por volta de 130 d.C.

Todo o conteúdo de Hegésipo se perdeu com o tempo, embora existam relatos de que seus escritos tenham sido vistos em três bibliotecas orientais nos séculos XVI e XVII, no entanto todas as referências sobre sua vida e escritos que temos hoje vem dos relatos de Eusebio de Cesaréia.

Em um dos textos de Hegésipo, mencionados por Eusébio de Cesaréia, encontramos a seguinte citação ao Apóstolo Tiago:

“Hegésipo, que pertence à geração seguinte dos apóstolos, fornece o relato mais exato a seu respeito em seu quinto livro, como se segue; “Ora, Tiago, o irmão do Senhor que, por haver muitos com esse nome, era chamado Justo por todos desde os tempos do Senhor até o nosso, recebeu o governo da Igreja juntamente com os apóstolos. Este era santo desde o ventre de sua mãe. Ele não bebia vinho nem bebida fermentada, e se abstinha de alimento animal; nenhuma navalha passava sobre a sua cabeça; jamais se ungiu com óleo e jamais ia aos banhos.

Somente ele tinha acesso ao santuário. Não usava vestes de lã e sim de linho (Ex 29,39; 28,27). Entrava sozinho no templo e mantinha-se de joelhos, suplicando perdão para o povo, de tal modo que seus joelhos se calejaram, assemelhando-se ao couro dos camelos, porque se prostrava sempre de joelhos, adorando a Deus e pedindo perdão pelo povo. (Eusébio de Cesaréia, Livro 2, XXIII)”

Tiago é mencionado por Eusébio de Cesaréia como tendo recebido iluminação espiritual:

“A Tiago, o justo, a João e a Pedro o Senhor concedeu a gnose, após a sua ressurreição. Eles a transmitiram aos demais apóstolos e os restantes apóstolos, por sua vez, a transmitiram aos setenta, um dos quais era Barnabé. (Eusebio de Cesaréia em História Eclesiástica Livro II, Capítulo 1, citação ao sétimo livro das Hipotyposes).

 

Existem registros do Apóstolo Tiago na liderança da Igreja?

O Novo Testamento apresenta Tiago como um líder influente da Igreja primitiva. Este contexto também é encontrado em outras referências que mencionam sua existência e liderança.

Ícone de Tiago
Ícone de Tiago

Ainda nos escritos de Eusebio de Cesaréia por exemplo, mais especificamente na sua principal obra, História Eclesiástica, onde ele reconstitui através de vários registros praticamente toda história da Igreja, desde Jesus Cristo até Concílio de Niceia em 325 d.C., encontramos citações a registros de outros escritores onde o Apóstolo Tiago é mencionado também como líder da Igreja.

“Então, Tiago, chamado irmão do Senhor (Gl 1,19), — tinha também ele o nome de filho de José; José era pai de Cristo, pois a Virgem era comprometida em casamento com ele, mas antes que coabitassem, ela concebeu do Espírito Santo (Mt 1,18), conforme ensinam as Sagradas Escrituras, no Evangelho — esse Tiago, a quem os antigos davam o sobrenome de justo, devido a suas excelentes virtudes, diz-se ter sido o primeiro a ser instalado no trono episcopal da cidade de Jerusalém.”

“Clemente, no sexto livro das Hipotyposes, o declara. Afirma, de fato: “Após a ascensão do Salvador, Pedro, Tiago e João, apesar de particularmente distinguidos pelo Salvador, não disputaram a honra de bispo de Jerusalém, mas escolheram Tiago, o justo, para este múnus”.(Eusebio de Cesaréia em História Eclesiástica Livro II, Capítulo 1, citação ao livro das Hipotyposes).

Em outro trecho de seu livro “História Eclesiástica,” Eusebio de Cesaréia faz uma lista de todos os bispos de Jerusalém, incluindo Tiago, o Justo, que é chamado de “irmão do Senhor” e é considerado um importante líder da igreja primitiva em Jerusalém:

“Uma vez que terminaram nessa ocasião os bispos oriundos da circuncisão, convém levantar agora sua lista, desde o primeiro. Com efeito, o primeiro foi Tiago, denominado irmão do Senhor; depois dele, o segundo foi Simeão; o terceiro, Justo; o quarto, Zaqueu; o quinto, Tobias; o sexto, Benjamim; o sétimo, João; o oitavo, Matias; o nono, Filipe; o décimo, Sêneca; o undécimo, Justo; o duodécimo, Levi; o décimo terceiro, Efrém; o décimo quarto, José; finalmente, o décimo quinto, Judas.”(Eusebio de Cesaréia, História Eclesiástica, Livro II, Capítulo 23, Seção 1.)

 

Existem regístros sobre a morte do Apóstolo Tiago?

Antes de falarmos sobre regístros históricos da morte do Apóstolo Tiago é preciso lembrarmos que a Bíblia menciona a morte de um apóstolo chamado Tiago, mas é importante observar que existem vários apóstolos com o nome Tiago nas Escrituras, e a identificação específica do Tiago cuja morte é mencionada pode variar.

Estátua de Tiago, o Justo, em Liège, Bélgica
Estátua de Tiago, o Justo, em Liège, Bélgica

Tiago irmão de Jesus na verdade não é um dos 12 apóstolos, embora seja comumente chamado de Apóstolo e mencionado várias vezes na Bíblia.

Por exemplo, em Atos 12:1-2, é relatado que o rei Herodes Agripa I perseguiu os cristãos e aprisionou Tiago, o irmão de João, e o mandou executar. No entanto, este é geralmente considerado Tiago, filho de Zebedeu, e não Tiago, o Justo, irmão de Jesus.

Tiago, o Justo, também conhecido como Tiago, o irmão do Senhor, é mencionado na Bíblia, mas não há um relato detalhado de sua morte nas Escrituras.

A maioria das informações sobre a morte de Tiago, o Justo, é preservada em fontes cristãs antigas e na tradição cristã primitiva, como as obras de historiadores da igreja, incluindo Eusébio de Cesareia e até do conhecido historiador judeu Flávio Josefo que escreveu “Antigüidades Judaicas” e não era cristão.

A distinção entre os dois Tiagos:

Eusebio de Cesaréia também menciona em seus textos a distinção entre os dois Tiagos. Ele explica que Tiago, o Justo, foi martirizado ao ser precipitado do pináculo do templo e espancado com o bastão de um pisoeiro até a morte. Este é geralmente considerado o mesmo Tiago mencionado por Paulo na Epístola aos Gálatas (Gl 1,19) como “Tiago, o irmão do Senhor.” A distinção entre os dois Tiagos ajuda a esclarecer as diferentes histórias associadas a eles na tradição cristã primitiva. Confira na integra a citação de Eusébio:

“Havia dois apóstolos com o nome de Tiago: um, o justo, que tendo sido precipitado do pináculo do templo, foi batido com o bastão de um pisoeiro até morrer, e o outro que foi decapitado”. É também o justo que é mencionado por Paulo, ao escrever: “Não vi nenhum outro apóstolo, mas somente Tiago, o irmão do Senhor” (Gl 1,19). (História Eclesiástica de Eusébio de Cesareia, especificamente no Livro II, Capítulo 23, Seção 2).

Flávio Josefo faz referência a morte do Apóstolo Tiago:

O conhecido historiador judeu Flávio Josefo escreveu em “Antigüidades Judaicas” uma referência direta ao Apóstolo Tiago, mais especificamente sobre sua morte.

“Assim pois, tendo refletido sobre este tipo de gente, Anano, que dispunha de uma ocasião favorável, pois Festo havia morrido e Albino estava à caminho, convocou uma reunião de juízes e levou até ele o irmão de Jesus, chamado Messias, de nome Tiago, além de alguns outros. Os acusou de terem transgredido a Lei e os entregou para que fossem apedrejados”. (Flávio Josefo, Antiguidades Judaicas, Livro 20, Capítulo 9, Seção 1).

Eusébio de Cesaréia registra o Martírio de Tiago:

Em seu livro “História Eclesiástica,” ainda no capítulo XXII, Eusébio de Cesaréia registra toda a narrativa do martírio do Apóstolo Tiago em detalhes, até o ápice da sua morte a qual transcrevemos a seguir apenas um pequeno trecho:

“Subiram pois e lançaram abaixo o Justo. E diziam uns aos outros: “Apedrejemos a Tiago o Justo!” E começaram a apedrejá-lo, porque ao cair não chegou a morrer. Mas ele, virando-se, ajoelhou-se e disse: “Eu te peço Senhor, Deus Pai: Perdoa-os, porque não sabem o que fazem.

E quando estavam assim apedrejando-o, um sacerdote, um dos filhos de Recab, filho dos Recabim, dos quais o profeta Jeremias havia dado testemunho, gritava dizendo: Parai, que estais fazendo? O Justo roga por vós!

E um deles, tecelão, agarrou o bastão com que batia os panos e deu com este na cabeça do Justo, e assim foi que sofreu o martírio. Enterraram-no naquele lugar, junto ao templo, e ainda se conserva sua coluna naquele lugar ao lado do templo. Tiago era já um testemunho veraz para judeus e para gregos de que Jesus é o Cristo. E em seguida Vespasiano os sitiou.” (Eusébio de Cesaréia, História Eclsiática, capítulo XXIII, pg 47, 1 -18).

Eusébio dá três versões da morte de Tiago: uma de Clemente de Alexandria, uma de Hegésipo e uma de Josefo.

 

Existem indícios arqueológicos da existência do Apóstolo Tiago?

Ossuário de Tiago irmão de Jesus
Ossuário de Tiago irmão de Jesus

Não são poucas as descobertas arqueológicas de objetos relacionados a acontecimentos, lugares ou personagens bíblicos. Embora não possamos afirmar categoricamente que estas descobertas arqueológicas sejam provas de que as narrativas bíblicas realmente aconteceram da forma como foram registradas, todavia estas descobertas nos dão uma indicação de que a Bíblia pode estar realmente falando a verdade.

Em relação ao Apóstolo Tiago temos recentemente a descoberta de um ossuário que ganhou destaque em 2002. O ossuário foi encontrado na década de 1970 em Jerusalém, mas sua importância só foi reconhecida posteriormente.

A inscrição nele sugere que poderia ter abrigado os ossos de Tiago, o Justo, um dos primeiros líderes cristãos e irmão de Jesus.

Inscrição do Ossuário de Tiago
Inscrição do Ossuário de Tiago

A inscrição no ossuário é em aramaico e diz: “Tiago, filho de José, irmão de Jesus.” Esta inscrição levantou questões e debates significativos na comunidade acadêmica e religiosa, pois poderia ser uma evidência arqueológica da existência histórica de Tiago, o Justo, mencionado nos escritos cristãos primitivos.

Esta descoberta foi bastante debatida enfrentando até processos na justiça por suspeita de fraude.

Se envolveram no processo mais de 200 peritos e foram feitos testes de carbono 14, paleografia, geologia, biologia, microscopia e estudos abrangentes da pátina da caixa. Após 5 anos de estudos e árdua batalha judicial o artefato foi reconhecido como verdadeiro em sua totalidade e a Justiça israelense finalmente deu o veredito de que o Ossuário de Tiago teria realmente dois mil anos de idade, não sofreu falsificações.

Até o momento tanto o Novo Testamento, as narrativas históricas, a tradição cristã primitiva e o contexto arqueológico atestam que Tiago chamado o Justo, que era tido como irmão de Jesus Cristo, realmente existiu e teria sido martirizado por volta de 62 d.C.,

Não deixe de ler também a nossa série de estudos sobre “As provas concretas da existência de Jesus Cristo:” 

Fontes pesquisadas:

Eusébio de Cesaréia, Livro 2, XXIII

Eusebio de Cesaréia em História Eclesiástica Livro II, Capítulo 1, citação ao sétimo livro das Hipotyposes.

Eusebio de Cesaréia em História Eclesiástica Livro II, Capítulo 1, citação ao livro das Hipotyposes.

Eusebio de Cesaréia, História Eclesiástica, Livro II, Capítulo 23, Seção 1.

História Eclesiástica de Eusébio de Cesareia, especificamente no Livro II, Capítulo 23, Seção 2.

Flávio Josefo Antiguidades Judaicas, Livro 20, Capítulo 9, Seção 1

Eusébio de Cesaréia, História Eclesiástica, capítulo XXIII, pg 47, 1 -18.

Picture of Monteiro Junior

Monteiro Junior

Pastor e estudante das Escrituras, idealizador do Projeto "O Pesquisador Cristão." Estudou Teologia e Sistemas de Informação. Atualmente dedica-se a pesquisas relacionadas a História do Cristianismo, Novo e Antigo Testamento. Acredita e defende a "busca e compartilhamento do conhecimento nos tempos modernos..."

Picture of Monteiro Junior

Monteiro Junior

Pastor e estudante das Escrituras, idealizador do Projeto "O Pesquisador Cristão." Estudou Teologia e Sistemas de Informação. Atualmente dedica-se a pesquisas relacionadas a História do Cristianismo, Novo e Antigo Testamento. Acredita e defende a "busca e compartilhamento do conhecimento nos tempos modernos..."